Crônica de uma Saudade

Pai, sinto muito sua falta. Muito mesmo. Gostaria de ainda tê-lo ao meu lado. Gostaria de poder aprender um pouco mais com você. Quantas vezes você me deu conselhos certos e verdadeiros, que eu deixei o vento levar. Quantas vezes eu te disse não, quando não me custaria nada lhe dizer sim. Quantas vezes me disse sim, quando o mais fácil era ter me dito não.

Fico pensando o que eu mudaria se tivesse chance: meu jeito, minha boa-vontade, meu companheirismo. Sei que me amava, independentemente dos meus defeitos, mas poderia ter tido menos deles. Ou, ao menos, lhe mostrado mais minhas qualidades. Recebê-lo mais vezes com sorriso, e menos vezes com indiferença. Mais vezes com abraços, e menos vezes com acenos. Acredito ter sido um bom filho, mas tenho certeza de que poderia ter sido muito melhor.

Tantas foram as vezes em que deixei de ficar ao seu lado por algo fútil ou sem importância. E hoje, por ironia do destino, trocaria tudo só por mais alguns minutos com você. Preciosos minutos. Minutos de redenção. Inúmeras foram as oportunidades de lhe dizer o que sentia, e nem sempre aproveitei. Hoje, esses poucos minutos bastariam. Queria ter sido mais filho, e menos humano. Você se foi e levou consigo um pedaço do meu coração. Desculpe não dá-lo por inteiro, mas ainda estou cercado por pessoas que me amam, e também precisam do meu amor.

Às vezes me pego, na calada da noite, chorando sua ausência. Outras vezes, rio sem perceber, invadido pela memória de tudo que vivemos juntos. Na maioria das vezes, apenas torço para ter me tornado alguém de quem você possa se orgulhar.

Queria lhe dizer, também, para ficar tranquilo. Aqui embaixo me cerquei de pessoas carinhosas, que sempre me ajudaram a superar obstáculos. Um padrasto companheiro e amigo, um novo “pai” exemplar, uma porção de amigos que juntos formam um conjunto de suas maiores qualidades. Não podia ter superado sua perda sem eles. Além disso, a aproximação que meus irmãos e eu tivemos, facilitou bastante essa passagem para mim. Acredito estarmos muito mais unidos hoje. Pena, também, você não ter tido a oportunidade de ter conhecido sua nora. Definitivamente, uma grande mulher. Ela me fez uma pessoa muito melhor.

Poderia continuar escrevendo por horas, pois estou abarrotado em sentimentos diversos: alegria, tristeza, alívio, receio, principalmente, amor. Mas quero ligar para minha mãe e dizer que a amo. Já faz um tempinho que não digo, e não quero cometer o mesmo erro, afinal a amo tanto quanto sempre o amarei.

Ricardo Ragazzo

Esse texto é uma homenagem à memória de Paulo Roberto Ragazzo, acima de tudo PAI.

Anúncios
Published in: on abril 10, 2008 at 12:21 pm  Comments (15)  
Tags: , , , ,

The URI to TrackBack this entry is: https://vandosquebrados.wordpress.com/2008/04/10/cronica-de-uma-saudade/trackback/

RSS feed for comments on this post.

15 ComentáriosDeixe um comentário

  1. filho
    obrigado por me fazer come’car o dia feliz…texto repleto de amor e ternura adorei e tb me emocionei..que bom que vc existe..

  2. Ragas, me emocionei muito com o texto.
    Parabéns pelo seu estilo Ragas de ser. Fico muito contente em tê-lo por perto, obrigado meu grande amigo.

  3. Muito bonito. Emocionante. Faz-me lembrar que sinto o mesmo no que tange a estar presente, dizer mais sim do que não, abraçar, ligar, enfim, dizer que amo meus pais.

    Abraço, Caco, esse amigo que esteve e sempre estará presente, ainda que com lágrimas escorrendo.

  4. Lindo!!
    Tive que ler em etapas… para controlar a emoção!
    Não pega bem ficar chorando no trabalho, né?!
    T aMo

  5. Obrigado pela parte que me toca…
    Também sinto o mesmo, afinal tenho dois filhos Ricardos…
    Aimone

  6. Parabéns Ragazzo por ter deixado seu coração falar…quão difícil não é para tantas pessoas e você com tanta singeleza conseguiu…

    Um abraço

    Sonia

  7. Porra Ragaz fenomenal cara… chorei uns 10 e só agora vim deixar o comentário… Espetacular o sentimento que vc consegue passar, uma baita sinceridade… Incrível, parabéns!!!!

    Gabriel

  8. Nossa, Raga, que lindo!
    Fiquei super emocionada! Maravilhoso!
    Beijo

  9. Cumpadre,
    Tenho certeza de que cada palavra desse texto veio direto do seu coração, não tem como não se emocionar.
    Não consigo palavras para definir o texto: MARAVILHOSO, INCRÍVEL E EMOCIONANTE!! As lágrimas não param…
    Acho que muita gente se orgulha de vc e eu sou uma delas.
    Parabéns pela coragem de mostar seus sentimentos e pela grandiosidade de seu coração.
    Obrigada por estar sempre por perto, tenho certeza que os Minis e os Ragas estarão juntos para sempre dividindo alegrias e dificuldades.
    Beijos no coração.

  10. Não acredito que vc me fez chorar de novo….. Tenho esse texto guardado comigo e sempre que tenho saudades dou uma lida nele e todas as vezes choro demais, de saudade, de emoção, das lembranças todas que temos dos anos que passamos juntos e que aproveitamos cada minuto. Te amo muuuuuito. beijos

  11. Então meu querido moleque…. desta vez voce se superou, sua alma ficou exposta mostrando toda riqueza e luz que há em voce, te amo de verdade beijos….

  12. Vc sabe que sou chorona. Então não preciso lhe dizer o quanto suas palavras tocaram o meu coração. Parabéns pela sensibilidade em transportar para o texto os seus sentimentos mais íntimos. Saiba que muito embora a família Gus & Roses e a família Ragaz não se encontrem com tanta freqüência, vocês moram em nossos corações. Beijos mil.

  13. Ragas,

    Muito bonito. Sempre será atual este conto e refletirá os sentimentos de muitos pessoas, como os meus em relação a minha amada mãe. Estou com um nó na garganta e lágrimas nos olhos.

    Parabéns.

    Gus.

  14. “Um homem não entra duas vezes no mesmo rio. Da segunda vez não é o mesmo homem nem o mesmo rio”

    Muitas vezes voltará a esse tema e quão diferente serão os sentimentos, a abordagem, as dores e alegrias. Algumas culpas maiores, outras menores, algumas alegrias redescobertas ou a se descobrir.

    Desse amigo fica a eterna gratidão. Ao ler o texto sentei-me ao lado de meu pai e dei-lhe um abraço.

  15. Parabens. Belo texto. Há coisas que de fato só entendemos quando ficamos mais velhos.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: